sexta-feira, 27 de maio de 2011

Reino, uma nova politica de vida


Jesus, meu Senhor e Rei, a quem sirvo e servirei por toda a vida.
já parou para pensar o que significa isto?
Ter um Rei, um Senhor. Vivendo em um mundo onde o sistema de governo não funciona assim, como entender o Reino?
Ainda hoje alguns países vivem uma adaptação do ideal monárquico de tempos atrás. Houve uma época em que a política de um povo não estava apenas em documentos, leis, constituições. Reino é uma política que parte do coração de cada cidadão.Um sistema que contraria as leis da democracia presentes no mundo de hoje. Mas o combustível não é o egoísmo, e sim a HONRA.  Corações entregues, desejando apenas honrar o Rei.
Não é preciso ir muito longe para entender como o sistema de reino funciona. Basta observar as fábulas dos tempos dos reis.
Quando o rei era coroado, todos os cidadãos se ajoelhavam, demonstrando honra ao novo rei. Onde quer que o rei fosse, os cidadãos sentiam-se agraciados com sua presença e sempre estavam dispostos a servi-lo. Não importavam os desejos do coração, pois os desejos do rei eram mais importantes. As ordens do rei ecoavam por todo o reino, e homens eram leais a essas ordens onde quer que estivessem, sem questiona-las.
Era uma honra morrer pela coroa. No coração de cada homem, havia honra, lealdade e amor pelo rei. Honra, a capacidade do homem em não apenas crer cegamente, mas defender com a vida. Onde ela foi parar?
Para o próprio homem. O egoísmo tomou conta dos corações, corações que buscaram honrar a si mesmos. E então reinos e reinos caíram, por uma política chamada egoísmo.
Mas um Reino ainda vive, nos corações de cidadãos espalhados pelo mundo. Este Reino pertence ao meu Rei, Jesus. Um Rei capaz de Reinar como nenhum outro rei.
Meu Rei se fez servo primeiro, e me honrou antes mesmo de eu honra-lo.
Meu Rei entregou a própria vida em favor
 da minha.
Meu Rei ama seu povo tão intensamente, que venceu a morte, e irá vencer tudo, conquistar tudo, e entregar a nós.
Esse é o Rei que sirvo.
E eu quero servi-lo com minha vida, quero honra-lo em tudo que faço.
Eu não tenho planos a não ser servi-lo. Ele tem planos para mim, e eu vou segui-los.
Se você quer servir a Jesus como Rei, precisa viver uma política diferente. Honra-lo, servi-lo com a vida, um desejo constante em seu coração.
No Reino não há uma política se não esta. E este Reino será estabelecido por toda a terra, e seus cidadãos serão ajuntados dos quatro cantos da terra, para servirem juntos o Rei dos reis e Senhor dos senhores.




PS: Karen, você é o sonho que meu Rei sonhou para mim. Um sonho que meu pobre coração não pode sonhar. Espero honrar meu Rei, e fazê-la feliz.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Uma realeza esquecida...

A noiva



Ela esteve por muito tempo presa por seus próprios enganos. Ela precisa abrir seus olhos e se levantar. Seu amor vem vindo!
 Embriagada com o vinho dos seus próprios erros. Procurando migalhas em meio ao chão sujo. Não foi pra isso que foi criada.
Foi passear no bosque com o diário na mão e se perdeu de seu guia. sabia que o bosque era perigoso, mas se deixou levar. Correu desesperada, foi perseguida por assassinos. Aceitou socorro de um rei mau, enganador, sedutor. o rei mau a levou para o castelo, lhe trouxe roupas diferentes, tomou seu diário. Ela acreditava estar a salvo. Acolhida junto ao rei mau, absorveu costumes, mudou sua língua, perdeu suas vestes. 
Bruscamente aprisionada, não se importou. Aceitava as ordens do rei mau, submissa a qualquer guarda, se humilhava e se dobrava a todas as vontades dele. O rei mau dizia ser seu dono, seu marido. E por muito tempo sem entender, ela aceitou esta condição. O rei mau a torturava, usava o diário para julgá-la. Foi construído um castelo para ela, e muitos reis foram os que reinaram em seu castelo. Por anos torturada, usada por inúmeros reis maus, perdeu-se e nunca mais viu seu diário. Aceitou ser marcada em seus pensamentos, aceitou agir como o rei mau mandava. 
Os anos á fizeram perder sua cultura. Estava agora pervertida. Foi então que um guarda olhou para ela, se compadeceu, e leu seu diário. Entendeu que as coisas estavam erradas, que ela não havia nascido para ser usada. Ele a pegou pela mão, a levou ao bosque, entregou a ela seu diário, e deixou-a para que se orientasse e voltasse para seu noivo. Mas ela não conseguiu achar o caminho de volta. Perdida em uma floresta densa, ouvia sons de grandes feras, e já não sabia onde se esconder. Enquanto caminhava, procurava em seu diário um modo de se orientar, mas já não entendia seu idioma. Seguindo estradas de chão, encontrava viajantes que procuravam entender o diário para orienta-la. Assim ela foi seguindo, com interpretações, que ajudavam ou não. 

Quanto mais andava, mais seu coração se dividia. Ela não sabia mais qual instrução era certa. Disseram a ela que em seu diário haviam promessas de, cura e abrigo, riqueza e luxo.Tomada por esperança, busca agora por essas promessas, sem entender realmente como encontra-la. Agora, a cada cidade que passa, procura por abrigo, por cura, e o melhor tratamento possível. Encantada por grandes letreiros, viaja cada vez mais lentamente. Quando tenta voltar a estrada, não encontra o caminho, fica desorientada em meio as luzes da cidade. Procura em seu diário o meio de seguir caminho, mas pouco entende. O que entende? apenas o que viajantes haviam interpretado. 

Ela ainda ouve a voz de seu guia, enquanto chora pelas madrugadas arrependida dos seus erros. Mas tem pouca força pra seguir em frente. Na madrugada, ouço a voz do vento dizer: Noiva, Procure no seu diário, Lembre-se da sua história, seu Noivo a preparou para tudo isso, então levante-se, vá se arrumar, reaprenda seu idioma, esfregue seus olhos, e veja a cavalaria Real anunciando que seu Noivo vem! O Rei dos reis vem casar contigo. Vem reinar junto ao teu Rei, e destrói todos aqueles que te enganaram. Levanta, e vem casar com teu Rei, vem viver no Reino Eterno.